Ano Novo – Parte I

 

Ano novo esperança

O ano está para acabar… E o seu sentimento é de esperança ou fim do mundo?

Eu, sendo uma pessoa tão otimista que beira a ingenuidade, sempre acredito que ter esperanças é o único caminho possível. Tendo 2016 sido o ano que foi, entendo que fique difícil, mas quero insistir um pouco. Minha lógica para isso não é lá muito científica, não tenho qualquer qualquer evidência empírica para o que vou dizer e muito menos minhas opiniões derivam de modelos matemáticos.

Eu particularmente prefiro falar de sentimentos, coisas que a gente não sabe explicar, coisas que muitas vezes nem entendemos. Acredito que pensamentos ruins atraem coisas ruins. Não porque se emitem energias para o universo nem nada desse tipo, mas sim porque se colocamos nossos pensamentos em uma moldura base negativa qualquer coisa que aconteça – boa, normal, ou ruim – vai parecer pior. Seria como ver esses acontecimentos através de uma lente negativa, onde tudo parecerá pior do que é – e dificilmente você conseguiria identificar alguma das pequenas coisas boas que acontecem com tanta frequência.

Tá, aqui vai um pouquinho de evidência científica*. Em 2014 um grupo de cientistas da Universidade Cornell (New York, EUA) e da empresa Facebook publicaram um estudo bastante polêmico que demonstrou contágio emocional através de posts do facebook. Pulando direto pra conclusão, quando eles manipulavam o conteúdo que aparece no feed das pessoas para conter uma pequena porcentagem a mais de conteúdos negativos os próprios posts destas pessoas passavam a ter um conteúdo mais negativo – e o mesmo acontecia para o outro lado quando eles aumentavam a quantidade de conteúdo positivo.

* só para esclarecer, não é porque foi publicado em uma boa revista científica eu tomo qualquer coisa como verdade – isso pode ser uma oura discussão mais restrita aos amigos acadêmicos – mas nesse caso aqui parece bastante bom para ser citado. Esse trabalho em particular beirou a retratação devido a falta de padrões éticos para a condução de um experimento em humanos, mas isso não invalida as conclusões obtidas.

Isso tudo só porque eu queria dizer que gostaria que todos nós mantivéssemos uma moldura de esperança e positividade para o ano novo que chega. A virada de ano é sempre um momento com uma onda meio catártica para quase todo mundo, então vamos manter nossas resoluções bastante positivas. E acreditar que tudo vai melhorar não pode trazer mal algum né?

Politica, economica e socialmente sei que as perspectivas não são boas. Nesse momento cabe então a famosa frase de John F. Kennedy durante sua posse:

Não pergunte o que seu país pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer por seu país!

Talvez seja aplicável a nós, nesse momento, porque não podemos mais nos sentir imunes a tudo de ruim que vem acontecendo na política brasileira. Não podemos nos eximir de culpas e responsabilidades. Acredito que se admitirmos nosso papel na sociedade, podemos então fazer algo para mudá-la. Está aí um desafio.

Por outro lado, se a alternativa é achar que estamos em um caminho sem fim para baixo, então o único resultado é um cenário minimamente apocalíptico. E isso vai ficar pra parte II, mas já adianto que vai ser bem menos sério Winking smile

clarissa adultaeu

Você também irá gostar de ...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *