Cabo Frio em um dia

cabo frio em um dia

 

Esse verão o mar na Região dos Lagos está excepcionalmente lindo e ver as fotos por aí me deixou querendo muito ir ver de perto. De fato, o mar estava perfeito então achei que valia uma dica rapidinha aqui. Cabo Frio fica a 3 horas de viagem do Rio de Janeiro e umas 2 horas de Niterói, então é bem válido passar só o dia lá se for alguém de fora vindo passar umas férias no Rio ou alguém daqui mesmo que prefere trocar a diária do hotel por cerveja.

Meu pequeno roteiro incluiu duas praias, uma visita à rua dos biquínis e ainda dava pra espremer mais um ponto turístico no meio. Primeiro, chegamos na praia do Peró as 10h. Essa é uma praia um pouco mais afastada do centro da cidade e, com isso, estava bem vazia. Me surpreendi inicialmente – mesmo sendo uma segunda feira – a semana entre o natal e o ano novo era perfeita pra galera tirar férias né? Depois, até que fez sentido.

praia do peró cabo frio região dos lagos

Mar calmo, límpido, lindo e praia vazia… já está perfeito?  Foto completamente sem edição 😉

A praia é bem comprida, então tem vários pontos de acesso um tanto distantes uns dos outros. Segui as indicações do Google Maps e foi ótimo, a partir da estrada principal entramos em uma estrada de terra e em menos de cinco minutos chegamos em uma região super tranquila da praia (mas não tão vazia que nos fizesse desconfiar). A sinalização por placas nessa parte da cidade não é lá muito boa, mas dava pra se achar também.

O mar estava muito calminho e ao longo da manhã vi várias crianças se divertindo horrores por ali. Eu normalmente tenho um certo medinho de mar, mas esse dia era impossível se assustar. Ali onde eu estava o mar era até bastante raso até bem longe da praia – não cheguei a tanto mas era fácil observar rs. A água estava absolutamente transparente, e aquela cor verde-azul perfeita que a gente sempre associa ao Caribe. Até a temperatura estava muito boa – nessa região toda a água costuma ser bem gelada, mas estava só friazinha na medida certa pra aliviar o calor.

Almoçamos por lá mesmo, uma carrocinha que vendia um prato bem servido de churrasquinho com arroz, farofa, molho a campanha e salpicão, estava bem gostoso – principalmente considerando o preço – 15 reais só! 😉 Quando era quase uma hora da tarde saímos em direção a nossa segunda parada.

A rua dos biquínis fica a uns 20 minutos dali, em uma região bem mais central da cidade. Ali já é tudo muito bem sinalizado, impossível não encontrar. Pra quem não conhece, a tal da rua dos biquínis é uma coisa intermediária entre um calçadão com toldo e um shopping aberto. Acho que depende mais dos seus padrões de comparação rs. São muitas lojas e ao mesmo tempo não tantas (?!), com toda variação de preços. A peça em promoção mais barata que vi nas vitrines era 10 reais, e a mais cara (que obviamente também foi só pela vitrine) era uns 150 reais. Todas as lojas que entrei vendem as peças de cima e de baixo separadamente, o que eu considero vantagem em relação à maioria das lojas que vejo em Niterói.

rua dos biquinis cabo frio

Reavaliando agora, talvez fosse melhor passear por ali no fim do dia (mais fresco)…

Digo que são muitas lojas porque não dá pra entrar em todas (claro que depende de suas habilidades compradoras e paciência), mas não são tantas assim porque rapidinho você chega no final da rua e nem percebe. Além disso, muitas marcas têm mas de uma loja ali (uma em especial eu vi umas três ou quatro) e isso engana né, porque as peças são as mesmas em todas elas. Ficamos ali 1h30, entramos em umas seis lojas, só em duas delas achamos que valia experimentar. Claro que tanto eu quanto a irmã tínhamos um certo objetivo ali e não queríamos perder muito tempo de praia, então por isso foi quase rápido.

Só pra ficar de registro, ali na rua em si não tem lugar pra almoçar (talvez em volta, mas não procurei) – só tem uns quiosques de churros, caldo de cana, água de coco, etc. e um lugar de mate e que tinha uns salgados.

Depois, seguimos para a praia do Forte. Nosso objetivo era visitar o próprio Forte de São Mateus antes de descer pra areia, mas o calor do passeio pela rua dos biquínis, mais o sol forte que enfrentamos entre o carro e a orla e acumulados com o susto que levamos ao ver a areia nos fizeram desistir de andar mais uns dez minutos, no mínimo. A praia também é bem comprida e mesmo a gente indo pro lado mais perto do forte, com a dificuldade de achar vaga acabamos estacionando um pouco distante.

praia do forte cabo frio

De novo, o mar lindo. Mas a praia lotaaaaada… E o forte lá no fundo.

O susto ao olhar pra areia veio de fato da quantidade de gente que víamos sobre ela. MUITO CHEIO. Mesmo sendo umas três da tarde já, foi difícil achar um buraquinho entre as barracas mais perto da água pra esticarmos nossas cangas. Nosso único motivo pra não virar as costas e voltar pro Peró foi a água, ainda mais azul e parada. Sério, parada. Parecia uma piscina, nem se mexia. Mesmo assim, não tinha aquela cara de água parada. Incrivelmente limpa, friazinha também na medida certa pra aliviar o sol (e potencialmente enganar a pele também), tinha até peixinhos nadando por ali – mesmo com o grande movimento de gente e barcos. Nesse momento ficamos um pouco tristes de irmos só nós duas, era uma pena ter que se revezar e não poder ficar muito tempo na água.

Consequentemente à quantidade de gente por ali, o comércio também era bem maior do que no Peró. Tinha barraquinhas de pizza, churrasquinho, biquíni/canga/chapéus, ambulantes vendendo até ostra e recarga de celular! O que nos pareceu o motivo maior pra essa diferença de movimento entre as duas praias foi o acesso. Na estrada até o Peró não vimos nenhum ônibus e, mesmo os condomínios de casas que vimos por ali eram um pouco distantes dessa entrada que ficamos – então o acesso era só de carro mesmo. Já a praia do Forte fica em uma região bem central, com muito movimento de ônibus e muitos prédios em volta.

praia do forte cabo frio um dia

Saímos às 16h da praia porque estava cheio, quente, nada confortável e eu, que não tinha dormido muito, ainda tinha que dirigir de volta. Mas ainda dava pra ter passado no forte tranquilamente, se o objetivo é conhecer o máximo possível em um dia só! Quando eu voltar lá e conseguir visitar o forte, posso fazer uma atualização aqui, pode ser?

blog adulta eu

Você também irá gostar de ...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *